Fevereiro - Edição 264

Reflexões sobre a arte da escrita

A narrativa do romance Explosão de Carlos Nejar... Leia mais

Sequências

Não é o tempo
que envelhece.
Nós que envelhecemos
o tempo. Depois o tempo... Leia mais

Sangue no jornal

Só aos domingos minha família comia carne. O dinheiro não suportava outra possibilidade. Era minha avó quem determinava a ida ao açougue. Quantos anos eu tinha na época? Sete ou oito, talvez... Leia mais

O início de uma nova era

Entrevista transmitida em nível nacional, no Programa Identidade Brasil, com Fernanda Costa-Moura, apresentado, por Arnaldo Niskier, no Canal Futura... Leia mais

Taças

O antigo móvel envidraçado da sala guarda ainda um conjunto de taças de cristal. São lindas essas copas! Algumas maiores, bojudas, outras compridas e altas. Transparentes, de areia e chumbo diluídos, soltam um som agudo ao estalar dos dedos... Leia mais

O anedotário entre os registros da academia

O humor é uma forma de Literatura. Seja que elastizemos o conceito, incluindo aí charges e cartoons, seja restringindo-nos ao sentido mais literal do termo, quando então estaremos nos ocupando dos anedotários como repositório literário. No primeiro caso, lembremos o Lesgens de justice, de Honoré Daumier, coleção de charges publicadas entre 1845 e 1848, retratando de maneira satírica o antigo sistema judicial francês.... Leia mais

Nélida em águas profundas

Ela é uma colecionadora de prêmios, nos dois lados do Atlântico – de alguns dos mais importantes do Brasil, ao Juan Rulfo, do México (o de maior repercussão continental), ao Vergílio Ferreira, de Portugal, e o Príncipe de Astúrias, no qual desbancou uns trinta e tantos nomes mundiais que estavam na lista dos premiáveis, entre eles o norte-americano Paul Auster e o israelense Amos Oz.... Leia mais

No Albamar, outrora

(A Fabio de Sousa Coutinho, escritor, carioca e tricolor.) “A maior fascinação das ilhas sedutoras é serem desabitadas. Lá só moram as gaivotas, os trinta-réis, as aves limpas do mar. E quem ali aportar respira com a liberdade aliviada de um Robinson, prova a bem-aventurança da solidão... Leia mais

Literatura e diplomacia sob o signo de Machado

Machado de Assis é inesgotável. Cada geração continua a relê-lo, a redescobri-lo e a encontrar novos motivos de interesse e de investigação.... Leia mais

Doutor da bocha

O jogo de bocha era uma coisa muito séria quando eu ainda não passava de pirralho em São Paulo. E nem pensar em fazer daquilo brincadeira de final de semana para a garotada. Somente adultos devidamente uniformizados, e apenas homens, podiam entrar nas quadras do sagrado “Palácio da Bocha” do Ipê Clube, em São Paulo... Leia mais

Foi assim

Quem ia já não foi, ficou
O tempo parou na porta de
Do portão para dentro ficamos
Presos em nossas gaiolas de concreto e aço
Forças ocultas, susto, destino?... Leia mais

Viver é lutar

é uma arte.
é intensamente sonhar,
é ter fé em utopias.
é átomo repleto de moléculas.
difusas,
nebulosas... Leia mais

A dimensão de Machado de Assis

O escritor e crítico espanhol Antonio Maura, sócio correspondente da Academia Brasileira de Letras, esteve no Cairo para a conferência “El autor y sus máscaras: Una aproximación a Cervantes y Machado de Assis” (“O autor e suas máscaras: Uma aproximação de Cervantes e Machado de Assis)”, no Instituto Cervantes local... Leia mais

Manga-rosa

Agarrada à minha, a mão de Judith era o que me prendia à vida, onde já não queria estar. Sonhava com o fim do meu tormento, quando voaria para bem longe, sem corpo e sem dor... Leia mais



Janeiro - Edição 263

Homenagem a Joseph Safra

A morte do banqueiro Joseph Safra foi recebida com pesar não só no setor financeiro como em toda a sua legião de amigos e admiradores.
Fundador do Banco Safra, ele morreu aos 82 anos, de causas naturais, no dia 10 de dezembro de 2020... Leia mais

Sobre o que ficou

Sou um decorador inquieto. Pronto. Encontrei um elogio frente a tantas ausências que moram em mim. Inquieto é palavra boa. A ruim é insatisfeito. Decoro a casa dos outros e a minha própria. Ou as minhas... Leia mais

Entrevista Gilda Matosso

Lembranças de Vinicius
Entrevista transmitida em nível nacional, no Programa Identidade Brasil, apresentado, por Arnaldo Niskier, no Canal Futura... Leia mais

Clarice Lispector e suas revelações epifânicas

Como é bom quando se é jovem e se encontra uma arte à qual nos dedicamos por uma vida inteira! Aos vinte anos, já professora, estudiosa de literatura, descobri Clarice Lispector. Comecei então uma viagem intensa por seus livros, seu fazer literário intimista, sua trajetória... Leia mais

Três dedos de prosa

Nostalgia é um sentimento que acomete grande parte da humanidade. A palavra está nos dicionários, todo mundo conhece, mesmo aqueles que se mantêm ilesos à conhecida patologia. Mas aonde quero chegar? Quero chegar, senhores, à história da palavra... Leia mais

Affonso Cláudio e os sucessores da ancestralidade capixaba

É através da memória que damos significado ao cotidiano e acumulamos experiências. O termo “academia” remonta à Academia de Platão – escola fundada pelo célebre filósofo grego nos jardins que um dia teriam pertencido ao herói Akademus (de onde vem o nome)... Leia mais

Pílulas para o silêncio

Na madrugada, em meio às lembranças das recentes brigas, ela via-se resoluta a quebrar os grilhões que a prendiam a ele.
Na manhã, ao lhe preparar o café, caprichou nas pitadas de sal sobre os ovos mexidos. “Que este sal te ofenda, condenado!”... Leia mais

Adeus a Eduardo Lourenço

Um dos maiores ensaístas de Portugal, Eduardo Lourenço morreu aos 97 anos, no final de 2020. Conhecido pelas análises certeiras da identidade lusitana, o célebre crítico foi muito além da filosofia e da literatura... Leia mais

O rapé de Dona Lúcia

Com um lenço florido no cabelo, saia longa, estampada, azul com flores vermelhas e amarelas, chegava nas casas, antecipando um nascimento. Sentava na cadeira e pedia café. Seus brilhantes e atentos olhos azuis faziam o reconhecimento da casa e da senhora que a esperava ansiosa. De sua saia com grandes bolsos internos, tirava seu rapé para cheirá-lo. .. Leia mais

Título de cidadania aprovado

Para cumprir pontualmente o horário da reunião festiva, final da tarde, o carro guiado por mãos ágeis ganhou rapidez pelos caminhos tantas vezes percorridos na infância da cidade que me acolhe e atiça a memória para as coisas boas que aconteceram. Em dualidade com a menina ruiva que me acompanha, retomamos nossos caminhos de saudades, pela rua onde moramos, ao longo da Rua do Frade, ocupada com cadeiras ao longo da calçada, onde morava o sacristão da Igreja Matriz, pai das minhas colegas do Colégio Santana, Zezita e Creusa de Moura Leal... Leia mais

Tatuada – um miniconto para a quarentena

A campainha tocou três, quatro vezes, impaciente. A sua neta preferida chegou, vovó. E veio para ficar..., cantarolava, do lado de fora, a voz ainda adolescente, mas já decidida. Entre medicamentos e seringas, Renata franziu o cenho, prevendo dias tumultuados. A menina não era fácil: Mimada, cheia de vontade, acha que pode fazer o que quiser, em todo lugar”, comentava com as outras enfermeiras em seus grupos de whatsapp... Leia mais



Dezembro - Edição 262

A última vez

Ontem abandonaram um videocassete na lixeira do meu prédio. Custei a identificá-lo. Pensei, primeiro, tratar-se de um aparelho de DVD antigo. Depois, de um receptor de home theater. Até enfim perceber que era um velho amigo... Leia mais

Abracei Nélida Piñon

A sexta-feira deixava claro que a semana já havia cumprido seu papel. Um frio desnecessário atravessava o início de novembro. E um sol me explicava que o belo mora no alto... Leia mais

Aprisionada pela memória

O mar se descortina
num calmo combate
com as claras areias.
A visão de sua ondulante superfície,
dos pescadores na areia
e dos navios ao longe,
longe de dar-me calma à alma... Leia mais

Educação na pandemia

Não restam dúvidas sobre os males causados pelo coronavírus no mundo, abalos na saúde, na economia, nas atividades sociais, no turismo, enfim, algo surpreendente que transformou o ano de 2020 em período que nunca será esquecido... Leia mais

Inventário de um desassossego

Livro de estreia de André Osório, Observação da gravidade (Ed. Guerra e Paz, Lisboa, 2020) revela-nos um jovem autor português que aos vinte e um anos, impõe-se por uma precoce, mas plena maturidade criativa. Esse conjunto de poemas resulta não apenas do olhar imerso num lirismo muito peculiar, mas também de uma introspecção metafísica... Leia mais

Entrevista - Nélida chegou a Sagres

Entrevista transmitida em nível nacional, no Programa Identidade Brasil, apresentado, por Arnaldo Niskier, no Canal Futura. - Nélida Piñon... Leia mais

Noiva

Foi lindo ter-me vestido de noiva um dia! Eu era jovem e pensei: “Agora vou me tornar diferente, serei algo que não conheço, mas posso ser.” Ardi, tive medo, tremi, representei o papel de sedutora.... Leia mais

Por que choro?

No século XV, Diego López de Haro
Em um lamento versejou:
“no lloro por los amores
bordados de disfavores... Leia mais

Taj Mahal

Confesso de público minha grande admiração pelo Taj Mahal, que considero uma das mais belas construções do mundo. A Unesco fez-lhe justiça, declarando-o Monumento Cultural da Humanidade. É um esplendor de beleza, o principal cartão postal da Índia. O cartão-postal da Índia por excelência... Leia mais

Vá rever as flores

Não fique aí
A dondolar a dor
nessa boca de cantos caídos.
Vá saltar os muros
vá rever as flores... Leia mais

Alfabetização pela Imagem

Morreu, neste início de século e de milênio, a educadora Branca Alves de Lima, aos 91 anos, deixando órfãos aqueles que acreditam que a alfabetização com cartilhas não só funciona muito bem como é mais simples do que essa “moda” atual do construtivismo... Leia mais

O centenário clube alemão de Pernambuco

Final da Primeira Guerra Mundial, em 1918, imigrantes alemães chegaram ao Estado de Pernambuco e se estabeleceram como nos ensinou o mestre geógrafo Tadeu Rocha: “entre colinas terciárias sedimentares desde a ponta de Olinda ao norte, os Montes Guararapes e o Cabo de Santo Agostinho ao sul.” Os alemães fundaram, no Recife, em 1920, a primeira sede do Clube Alemão, na Rua do Progresso... Leia mais

Súplica esculpida

Essa interessante imagem, recebida pela internet, poderia servir de ícone para o ano de 2020. Ela pode nos remeter a um pedido de socorro de Gaia (Mãe-Terra) e de seus viventes, que enfrentam dois grandes problemas mundiais na atual conjuntura: pandemia e incêndios florestais... Leia mais

Humidade ou umidade

A Língua Portuguesa é bela, sonante, suave para ouvir-se, cadenciada e múltipla, rica de vocábulos, fonemas e linguajares, tudo amalgamado no cadinho primevo, oriundo da ancestralidade céltica, da regência do período neolítico... Leia mais



Novembro - Edição 261

A educação profissional vista por dentro

Quando vires um homem bom, tenta imitá-lo; quando vires um homem mau, examina-te a ti mesmo. (Confúcio) Aqueles que lidam com a educação profissional em qualquer nível têm sempre presente o enfrentamento de desafios tendo em conta a natureza do modelo educativo adotado e as dificuldades próprias de aprendizagem dos jovens e adultos em busca de empregos imediatos... Leia mais

O Pai

Nossa mão pequena
em sua mão,
semente no fruto
ou fruta em seu cacho.
Nossos brinquedos
cabiam
em seus sapatos... Leia mais

A vida que costumávamos ter

Ontem, fez dois anos sem ela. E ela faz, ainda, aniversário em mim. Não tive o poder da decisão, sequer pude limpar os ditos incorretos, rasurar alguma explicação. Tenho o bom e o ruim do silêncio. Fico quieto tempo demais... Leia mais

Presença da mulher na cultura brasileira

Entrevista com Rosiska Darcy de Oliveira transmitida em nível nacional, no Programa Identidade Brasil, apresentado, por Arnaldo Niskier , no Canal Futura.... Leia mais

Como a Covid-19 está afetando o mercado editorial

Antes de mais nada, é preciso colocar as coisas nos seus devidos lugares: nem tudo é culpa da pandemia. Desde o ano passado, o Brasil já vinha enfrentando diversos problemas na área econômica... Leia mais

A literatura nos diários

É muito comum (se não unânime) em cursos e oficinas de escrita criativa o conselho para que candidatos a escritor mantenham um diário – vá lá, um caderno de notas – que lhes favoreça registrar fatos, ideias e impressões. Algumas pessoas é que tornam esses cadernos num diário, quando uma qualquer consideração de maior monta lhes induza disposição para um “a mais” de rigorismo e de método... Leia mais

Louise Glück conquista o Prêmio Nobel de Literatura 2020

Nobel de Literatura de 2020 por sua “inconfundível voz poética, que, com uma beleza austera, torna universal a existência individual”. Glück é a primeira mulher poeta a receber o Nobel, desde a polonesa Wislawa Szymborska, em 1996.... Leia mais

Tempos de inclemência

Vivemos tempos de inclemência, tempos em que a angústia parece não deixar lugar à poesia. Quando a humanidade está ameaçada por uma pandemia que põe em guarda todos os homens, embora ceife muito mais os mais pobres, deveriam todos, sobretudo depois dos trabalhos de Levi Strauss e Margaret Mead, perceber que só há uma raça, a raça humana, e que somos todos pertença dessa raça triunfante sobre a terra, apesar das ameaças constantes que sobre ela lança a natureza... Leia mais

Madame Lindimar Sorralheiro

Agora já consigo rememorar os fatos, cena a cena: por telefone, Alexandra Sampaio Gomes me disse que foi mesmo Madame Lindimar Sorralheiro quem previu o nascimento dos gêmeos, hoje com oito anos. Gilberto e Gilson são, de fato, lindos... Leia mais

O escritor que não consegui entrevistar

Acabo de reler um livro sobre Porto Seguro, o paradisíaco rincão da Bahia, onde, em 1500, aportou o almirante Pedro Álvares Cabral com sua frota de 13 embarcações, uma das quais (provavelmente a Santa Cruz) comandada por um tal Aires Gomes da Silva, que morreu num naufrágio, na viagem de regresso a Lisboa... Leia mais

Irmã Cleusa, Educadora e Mártir

A história de vida – e de morte – da irmã Cleusa Carolina Rody Coelho (1933-1985) trouxe-me à memória a proposição de Walter Benjamim de que “cada época ao sonhar a seguinte, força-a a despertar”. Benjamim não sobreviveu ao tempo sombrio do nazismo, assim como irmã Cleusa Carolina, professora capixaba que optou pela vida religiosa, sucumbiu lutando pelos valores nos quais acreditava... Leia mais

Dois poemas para novembro – Mês de Finados

Que doloroso é o tempo!
Encontro por toda parte
palavras e imagens perdidas:
no leito que me acolhe... Leia mais



Outubro - Edição 260

A música e o silêncio

Fui eu que pintei esse quadro. Sim. É minha mãe. Uma metade é o seu olhar, quando se casou com meu pai. A outra, é do último dia em que ela cantou. Foi um pouco antes de entrar em cena. E, depois desse dia, foi silêncio... Leia mais

Predestinado

Abel passou a incomodar-se com o seu nome quando a professora de catecismo, numa de suas longas preleções, contou a história dos filhos de Adão e Eva. Ele descobriu que o seu homônimo mais famoso (e mais antigo) havia sido assassinado pelo irmão Caim... Leia mais

À mestra, com carinho

A primeira mestra a gente nunca esquece. A minha foi dona Tereza, cabeça de algodão, que me ensinou a ler e escrever quando eu tinha quatro anos e meio de idade. Contratei-a eu mesma, pois achava que minha mãe não iria aprovar... Leia mais

Reflexão positiva

Devemos aprender coisa novas, desaprender coisas que não devíamos ter aprendido, reaprender coisas antigas que nós já aprendemos e que serão importantes no futuro. (Silvio Meira) ... Leia mais

Um dia de uma professora rural

Dez e meia: hora da comida familiar. Onze horas: a professora recolhe a sacola com livros e cadernos, revistos à noite. Diante de um sol incandescente, abre a sombrinha e, entre os trilhos da estrada de ferro, caminha em direção à escola.... Leia mais

Um pioneiro de Brasília

“A amizade é como um círculo e como um círculo não tem começo nem fim.” O sentido hermenêutico da frase de Machado de Assis se aplica com toda propriedade ao sentimento que levou o acadêmico José Carlos Gentili, membro da Academia de Letras de Brasília e da Academia das Ciências de Lisboa a homenagear seu saudoso colega Murilo Melo Filho, com a publicação do livreto Murilo Melo Filho – um pioneiro de Brasília... Leia mais

Aos mestres Aos mestres

O lar galego nutriu-me com pão e valores. Abastecida de amor, fui entregue ao Colégio Santo Amaro, de professoras alemãs, para cumprir meu destino educacional. Sob a custódia das madres beneditinas, fui introduzida aos mistérios da educação formal, estaria à salvo da vida à deriva. Aos poucos escalaria os degraus do conhecimento. À sombra dos livros e da escrita.... Leia mais

Canção para a turma de 2011

Aos alunos tão queridos
Que seguiram dia a dia
Os caminhos percorridos
Sempre em busca da poesia, ... Leia mais

Doação de livros para a ABL

“Os livros são abelhas que levam o pólen de uma inteligência a outra”, afirmava o poeta romântico americano James Lowell (1819-1891). A frase acima nos remete aos colecionadores de livros Ivani e Jorge Yunes, que passaram a vida semeando sabedoria. O casal formou um grande conjunto de obras de arte e livros, atualmente conservada na “Sede Groenlândia”, em São Paulo... Leia mais

Entrevista com a velha professora

jornalista chegou cedo, com o bloco de anotações, a caneta, o celular. Eu já a esperava entre meus livros e lembranças. Ela entrou e disse: – Fui sua aluna. Éramos tão jovens, despreparados...
– Perdemos a juventude. Hoje tenho certeza de que nada sei.
Descobri minha progressiva ignorância.
Ela se sentiu um pouco constrangida:
– A senhora me marcou, inspirou-me. Suas aulas.... Leia mais

Um mestre que marcou a vida

Estudei no antigo Ginásio (hoje Colégio) 7 de setembro, em Fortaleza, durante cinco anos, da então quinta série primária à quarta ginasial. Cinco anos que me marcaram fundo, pela presença inesquecível do seu diretor, Edilson Brasil Soárez (1914-1975).... Leia mais

Recordações da Manchete

Em live, o jornalista e acadêmico Arnaldo Niskier foi entrevistado por Ana Maria Ramalho. Eis o resultado: ... Leia mais



Setembro - Edição 259

Amália, tudo o que há dentro de nós

Palavra, a palavra Amália desperta, umas vezes, a euforia e o deslumbramento da festa. O rosto alegre na cidade triste. Outras vezes, essa mesma voz coloca-nos perante estados profundos de angústia e de tristeza que nos fazem descer aos abismos da fatalidade e desespero... Leia mais

Aproximação a autores africanos de expressão portuguesa

A Literatura em geral vem passando por uma fase de acentuada diversificação, em que são criadas demandas por novos autores, novas vozes, novas visões. É certo que o público leitor ficará condicionado a demandas geridas por quem fornece o produto (o livro), dentro das regras de marketing e obedecendo às leis de mercado, mas o comércio de livros pela internet favorece o desenvolver desse processo. Aproveitemos essa tendência... Leia mais

Comadre Jacira – um microconto para a quarentena

Comadre Jacira está desolada. Por conta da quarentena, há três meses não confessa a padre Duílio – como faz há quarenta anos, disciplinada e rigorosa – as terríveis faltas contra Deus e a Igreja que tem cometido em sua rotina de senhora pacata e sozinha, agora mais que nunca. Se fosse só desolada... Leia mais

Dia do escritor

Esta coluna, não diria crônica, é para Matusahila Santiago, in memoriam. Nos dias que passaram, em 20 de julho, tivemos o dia do amigo, da amizade; de Santa Maria Madalena, amiga de Jesus, tantas vezes erroneamente interpretada: em 22, a reconstrução da face de Santa Maria Madalena, equipe que coordenei, em 2015, tendo à frente o designer 3D Cícero Moraes, promoveu, também, a possibilidade de uma revisão histórica da santa a partir dos evangelhos..... Leia mais

Dois poemas

Retrato da mãe

De rosa sentada
no branco banco
com tímido sorriso
pedia a proteção
que tanto deu... Leia mais

Pedro Caetano, o cronista musical de seu tempo

Consagrado por sambas, valsas e marchinhas, compositor teve sucesso gravado por Elis Regina e gravou disco dedicado ao Espírito Santo. Em sua autobiografia, 54 Anos de Música Popular Brasileira – o que fiz, o que vi, Pedro Caetano se definia, de forma bem-humorada, como “um cara que começou logo dando confusão”... Leia mais

Reflexões sobre a arte da escrita

A busca do divino em Trívia de Marco Lucchesi.
Um dos pais da Igreja, São Efraim (ou Efrém, o sírio), que viveu entre 300 a 373 no que hoje conhecemos como Turquia, em algum momento de sua busca espiritual... Leia mais

Sob os cedros do Senhor

olidarizando-me com as vítimas da tragédia ocorrida no Líbano, a explosão do dia 04 de agosto deste ano, que abalou a zona portuária e o centro de Beirute, transcrevo poemas de nosso romanceiro Sob os Cedros do Senhor: ... Leia mais

Uma canção para Diadorim

“Quando você foi embora / Fez-se noite em meu viver”. Assim começa Travessia, de Fernando Brant e Milton Nascimento, que dispensam apresentação. E assim começa o sofrimento de Riobaldo, personagem-narrador de Grande sertão: veredas, (1956), de Guimarães Rosa, autor que também dispensa apresentação – e que morreu em 1967, mesmo ano em que nasceu a famosa canção... Leia mais

A sexagenária poesia de Carlos Nejar

Num tempo de enturvadas incertezas, e que nos parece abrir novos caminhos para o precipício, comemorar um evento literário pode não ter a repercussão de um foguetório de gols de final de campeonato; nem o estrondoso delírio das massas ovacionando os endeusados astros da música sertaneja; mas certamente engalana o âmago de nossas almas, tão ávidas da flor desses mistérios que embalsamam a criação poética... Leia mais

A morte do poeta

Sérgio Luiz Blank (1964-2020), poeta capixaba, foi eleito para a Academia Espírito-santense de Letras (AEL) em junho de 2020, em disputada eleição com outros candidatos inscritos. Alguns de seus amigos o intitulavam de o maior poeta capixaba, título difícil de ser aferido, tal o número de bons poetas capixabas existentes... Leia mais



Agosto - Edição 258

Galáxia dos dias

Galáxia dos Dias, um baú comemorativo da obra do poeta goiano Gabriel Nascente, lançado pela Editora Kelps, reúne toda a poesia do autor. Trata-se de uma caprichadíssima coletânea contendo quatro volumes de mais de mil páginas cada um, com poemas revisados e, alguns deles, ampliados.... Leia mais

Quincasblog, bom a partir do nome...

Há escritores brasileiros que, não bastasse o renome na literatura, mostram-se grandes, também, no exercício da carreira diplomática: Guimarães Rosa, Gilberto Amado, Vinicius de Moraes, José Guilherme Merquior, Antonio Houaiss, João Cabral de Melo Neto, Dário de Castro Alves, Alberto da Costa e Silva, Sérgio Paulo Rouanet, João Almino, Felipe Fortuna... Leia mais

Um século e meio une música e literatura

A ópera Il Guarany de Antônio Carlos Gomes completou 150 anos, no dia 19 de março, de sua estreia em Milão, e completará, ainda, 150 anos no dia 02 de dezembro sua apresentação no Rio de Janeiro. Carlos Gomes, nascido em Campinas, ganhou uma bolsa de estudos de D. Pedro II para estudar na Itália.... Leia mais

O legado romanesco de Elvira Vigna

Tema de minha tese de doutorado, defendida recentemente no Programa de Pós-Graduação em Letras da PUC Minas, sob orientação da professora Márcia Marques de Morais, o legado romanesco de Elvira Vigna compreende dez livros, lançados entre 1987 e 2016.... Leia mais

Criaturas do mar

Há em mim uma veia lusitana que faz com que me sinta uma criatura vinda do mar. Talvez porque tudo sai do mar e a ele retorna. Talvez porque o mar esteja entre mim e Deus neste século. Talvez porque atravesso o mar da vida em um navio frágil.... Leia mais

Visões e reflexões

Desisti de Te achar no quer que seja, De te dar nome, rosto, culto, ou igreja... — Tu é que não desistirás de mim! (José Régio – Biografia)... Leia mais

As coleçoes acadêmicas

Às Academias de Letras cabe – ideia central da sua criação e permanência – o cultivo da língua e da literatura nacionais. Das regionais, e hoje existem Academias de Letras na maioria dos estados, espera-se um especial empenho no cultivo das expressões literárias do seu âmbito de atuação... Leia mais

Prêmio Sesc de Literatura 2020

O escritor carioca Caê Guimaraes, radicado no Espírito Santo, ganhou o Prêmio Sesc de Literatura 2020, na categoria romance, superando 1.358 obras de todo país com o livro Encontro Você no Oitavo Round, que será editado pela Editora Record até dezembro... Leia mais

As plantações e os exageros

Conheço o campo melhor do que a cidade. Lá nasci, lá cultivei a terra, lá vi crescer o alimento. Lá, fui me alimentando de interiores, de paciência, de aprendizagens. Acordávamos o dia nos esquentando de trabalho. E era bom. O cheiro da roça ainda vive em mim. Basta uma pausa e a lembrança me alimenta de tempos bons. Uma pausa... Leia mais

Sugestões de leituras para a tal de quarentena

Nesta terrível temporada da pandemia que assola o mundo, temos tido belos exemplos de solidariedade, de ajuda de todos os tipos, de mutirões voluntários para amenizar o sofrimento. O egoísmo tem dado lugar ao altruísmo e ao heroísmo em benefício do próximo... Leia mais

O continente africano é o maior

Apesar da pandemia do novo coronavírus ser a mais grave crise sanitária de nossa geração, está longe de ser a primeira. Especialmente na África, um continente que enfrentou severas epidemias de malária, tuberculose, cólera, HIV, sarampo e ebola. Todas essas doenças tiraram vidas, mas também forçaram a comunidade científica e médica africana a inovar... Leia mais



Julho 2020 - Edição 257

Centenário do saudoso Castelinho

Com vocação literária comprovada ao longo de seus textos, estendida pelo talento jornalístico, o acadêmico Carlos Castelo Branco teria completado 100 anos no dia 25 de junho... Leia mais

Quem foi Antonio DiasTavares Bastos?

Antonio Dias Tavares Bastos nasceu em Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro, em 7 de julho de 1900. Os Bastos se mudaram para Vitória em 18 de julho de 1910. O pai de Tavares Bastos, José, era juiz federal, além de autor de obras jurídicas... Leia mais

Reflexões sobre a arte da escrita – Quando a literatura nos fala ao coração

Em tempos difíceis em que a sombra da morte parece se aproximar de muitos de nós, parece-me natural que busquemos algum conforto em textos que possam nos dizer algo diretamente ao coração. Sejamos devotos ou não, a literatura, muitas vezes, nos provê de escritos que, com a abertura correta de nosso espírito, pode muito nos dizer de nós mesmos e nos levar à reflexão de elementos centrais de nossa existência... Leia mais

Leitura em tempos de Quarentena

Em tempos de quarentena, com grande parte da população confinada e impedida de desempenhar os afazeres habituais, sobra tempo para atividades pouco usuais... Leia mais

Uma livreira judia em Berlim

Ela e a mala errante viajaram muito. Ao fugir do nazismo, ambas se perderam e se acharam de maneira inesperada: uma sofrida, a outra, avariada. Saíram às pressas de Berlim, juntas, e se encontraram em Paris, não sem um atraso; depois, em nova fuga, foram separadas em Vichy para se reencontrarem, meses depois em Nice... Leia mais

Planejamento Educacional

Na Grécia Clássica, o uso da razão, da inteligência crítica, promoveu o desenvolvimento individual, o qual era capaz de criar leis humanas que estariam ligadas ao destino dos cidadãos homens livres. A educação grega centrava-se na formação integral... Leia mais

Difícil falar dos sentimentos que nos tocam

De afetos e saudades que nos prendem e emocionam, ressuscito imagens a me dar conta da solidão nesta quarentena. Estou só em meu apartamento. Valho-me do que posso fazer com os meus 94 anos... Leia mais

Relendo Murilo, que soube ler o seu tempo

O sinal terrível do nosso tempo é a ausência de grandeza. Todos se recusam a ser grandes. Não quero, porém, que meu país seja um mendigo ingrato, uma coisa insignificante, ou a pátria dos recalcados e dos raivosos, mas uma nação positiva e criadora, amante do seu grande destino... Leia mais

Pia

Sobravam-me alguns minutos de mais um dia apressado dentro de casa quando subitamente me acometeu o desejo de escovar os dentes. Premência de livrar a boca dos excessos rotineiros, cotidianamente guardados, em plena pandemia. Dirigi-me ao banheiro – era muito próximo, mas tão longe... Leia mais

Os sobreviventes

Há muita diferença entre viver e sobreviver. Viver manifesta a grandeza, a totalidade de nosso ser. Sorvemos bons e maus momentos com força e fé. Encaramos o trabalho como oportunidade de autorrealização, algo semelhante à arte... Leia mais

Dona Arminda – um mini conto para a quarentena

Fui alertado por minha mãe, cuja primeira frase, “você está com tempo agora?”, deu logo a entender que o telefonema não seria rápido. Sua voz soava pausada e grave, como em toda vez que tratava de tema importante, que não poderia, de modo algum, ser esquecido ou negligenciado: ‘Não atrase um minuto. Dona Arminda não tolera a falta de pontualidade. Por isso, acorde cedo e se arrume com antecedência.” Como se tivesse uma lista de recomendações à frente, prosseguiu: “Vá bem-vestido... Leia mais

Pandemia do coronavírus

Surto! Inesperado;
a humanidade recebe contágio;
não sabe como se defender.
Triste ver a mortandade de jovens
e os fracos metabolismos humanos
na vivência da morte antes do tempo;
morrerão amanhã? Ninguém saberá;
talvez seja hoje.
... Leia mais

Fé e coragem

“Uma vela acesa
Acende um milhão
De outras velas
Nem por isso,
Ela diminui a sua chama”
Não reclama,
Proclama a tua fé... Leia mais

Versos em tempos de quarentena

Passou o tempo
de corações solitários
É hora de corações solidários
Anoiteceu grão
Amanheceu flor?
Calma! A VIDA
apenas se transformou
Ninguém está à toa
Deus a todos se doa
Amor é certeza:
Dentro do peito... Leia mais

Perfil

Os seus lábios são beijos; É uma canção de embalar a sua boca! Nas suas pálpebras há um mar de lágrimas ocultas... Leia mais

Sonetos em Crise de Jorge Elias

Neste período de pandemia ocasionada pela COVID-19, Jorge Elias Neto, médico cardiologista, que pertence à Academia Espírito-santense de Letras, Cadeira nº 2 (cujo patrono, Graciano dos Santos Neves, também foi médico) lança pelo correio Sonetos em Crise, com arrecadação voltada a alimentar pessoas sacrificadas pelo coronavírus... Leia mais



Junho 2020 - Edição 256

Hélio Dória: Recorde mundial no Jornalismo

Considerado o principal colunista social do Espírito Santo, o jornalista Hélio Dórea completa, este ano, 65 anos de colunismo diário. Assim que passar o período de isolamento social, imposto pela pandemia do COVID-19, não faltarão motivos para festejar.... Leia mais

Entrevista Izabela Murici

Arnaldo Niskier: Izabela Murici é consultora da famosa Falconi, que tem sede, primeiro, em Belo Horizonte, mas que, hoje, trabalha em todo Brasil cuidando, particularmente, de educação. Você gosta de tratar de educação?... Leia mais

A poética de Nejar

A urgência da leitura tem seu registro em inúmeros pensadores, filósofos e escritores, entre os quais destaco três grandes autores hispânicos: Borges, para quem somos feitos do que lemos; Cortázar, que defende: se não podemos mudar o mundo devemos mudar a função da leitura e Carlos Fuentes, que declara a necessidade de relermos o que já lemos... Leia mais

Saudades de Germano

Germano Coelho foi, sobretudo, um privilegiado pensador. Morreu, aos 93 anos de idade, no Recife, cercado de familiares.... Leia mais

Sabedoria Imortal

Engenheiro de formação, Paulo Penido é de uma família mineira tradicional, um dos gestores da Serveng, empresa de engenharia com importante participação na construção de Brasília. A inauguração da capital do país completou 60 anos este ano, evocando homenagens em todo o Brasil.... Leia mais

A morte de Garcia Roza

“Se você perde a palavra, perde aquilo que constitui o sentido das coisas, o significado das coisas”, declarou, em uma de suas últimas entrevistas, o romancista, contista, professor universitário e psicanalista Luiz Alfredo Garcia-Roza... Leia mais

Isolada nesta casa

Estou isolada nesta casa, no centro do mundo. Escriba, copio textos rituais. Tomo atitude e posição em relação a forças que caminham lá fora: pragas, pestes, epidemias, chuvas malignas, gotículas virulentas, que insistem em entrar pelas portas, pelas frinchas, pelos vãos do telhado e da consciência... Leia mais

120 anos de nascimento de Gilberto Freyre

O tumultuado mês de março surpreendeu o mundo com a proliferação do Coronavírus (COVID-19), que afugentou o círculo terrestre, afastando tudo de todos. Dia 15 daquele mês, aniversário do mestre Gilberto Freyre... Leia mais

Bem melhor - Um miniconto para a quarentena

Ouviu na televisão que já era possível sair. Que o perigo havia passado, finalmente. Procurou checar a informação nos outros canais... Leia mais

Brasília cidade de Clarice

Se Clarice Lispector fosse uma cidade, esta seria Brasília.... Leia mais

Confidências a Clarice

“Todo caso de loucura é que alguma coisa voltou.” (Clarice Lispector, em A Paixão Segundo G.H.). Voltou, quando tudo aparentava o brilho da permanência. O silêncio da rotina... Leia mais



Maio 2020 - Edição 255

O preconceito contra a velhice

É certo que temos uma caidinha por humor. Mesmo em tempos tão tristes de coronavírus, não se pode ignorar que memes engraçados nas redes sociais nos arrancam um sorriso, uma risada ou mesmo uma gargalhada... Leia mais

Adeus a Rubem Fonseca

Em meio a tantas notícias tristes durante a crise provocada pela pandemia do Covid-19, a morte de Rubem Fonseca nos deixou um enorme vazio. Faltam-nos palavras, mas sobram gratidão e reconhecimento por esse autor que, com a intensidade de sua obra, renovou a literatura brasileira no século XX ... Leia mais

Como será a educação em 2030

Juliano Costa é diretor da Pearson Educação do Brasil, e se formou em História e em Educação na Federal de Alagoas, portanto, um homem de múltiplas facetas. Como será a educação brasileira no ano 2030? ... Leia mais

Reflexões sobre a arte escrita

A literatura já tratou bastante da questão de cenários pandêmicos, descrevendo histórias reais ou fictícias sobre como a humanidade pode sofrer sob o jugo de microrganismos a respeito dos quais, na maioria das vezes, tem pouco conhecimento ou controle... Leia mais

Seis propostas para o fim do mundo

O título é óbvia homenagem ao grande autor italiano (nascido em Cuba) Italo Calvino (1923-1985), que escreveu as Seis Propostas para o Próximo Milênio, publicadas postumamente em 1988. Imagine-se o que diria hoje, ante a sua bela Itália devastada pelo coronavírus... Leia mais

O grande desafio

Tenho por hábito arraigado ler antes de dormir – desde os sete anos de idade, quando, sob meu travesseirinho, dormia também o Coração, de Edmundo De Amicis – autor italiano, que muito me influenciou. Mais que isso, costumo dizer que ele forjou meu caráter com belíssimos exemplos de altruísmo, justiça, compaixão, estoicismo, bondade ... Leia mais

O poder da coroa – corona – na atualidade

A palavra “coroa”, do latim corona, radicado no grego korone, tem várias implicações. Em sua origem, designa um círculo, roda, uma grinalda de flores. Mas passou a indicar a coroa dos reis e também o coro de dança e canto no teatro, por sua disposição circular ou em semicírculo... Leia mais

A lição de Antígona

Quando Sófocles, no século V a.C., escreveu Antígona (442 a.C.), que é considerada a mais bela peça do teatro grego, teve em mente apresentar a luta entre a mulher que defendia a família e o homem que defendia o Estado, como analisou Hegel... Leia mais

O invasor

A nave pousou do outo lado da rua, próximo ao mercado de frutos do mar, que, mais uma vez, impreterivelmente às 5h da manhã, abriu as suas portas. Imediatamente o movimento de feirantes tomou conta daquele espaço onde todos os dias centenas de pessoas vinham ... Leia mais

Banhistas

O melhor momento do dia é o banho. Mergulhar o corpo numa água quente, que nos faça regressar ao útero de nossa mãe. Muita espuma, perfume, sal, óleos grossos e folhas de eucalipto podem completar a sensação de calma e ternura... Leia mais

Corpo estranho – um microconto para a quarentena

É uma misteriosa intuição que lhe avisa para agir rápido: ele jamais passaria a quarentena longe dela... Leia mais



Abril 2020 - Edição 254

A Presença da Morte

A morte? A morte sempre tem hora e vez. Não duvido e não duvido mais desde o que aconteceu comigo há três anos, fato que não esqueço, sendo só contar para arrepiar, não de medo, mais por dúvidas, pois sempre restam algumas em tudo... Leia mais

Anamnésis

Dela vem o apelo estético – enfrentamento do passado com imagens. A paz da exatidão da coisa acontecida e, na compulsão da exatidão, a ação destruidora do tempo na melancolia... Leia mais

Caça e Caçador

Passei pela rua Tonico de Carvalho, que leva o nome de meu tio. Ele era caçador e colecionador de armas de fogo... Leia mais

Escritores de Obtuários

O assunto pode parecer meio mórbido, mas tem sua graça. Leitor amigo, você pode não morrer de rir com esta croniqueta, mas, gentilmente, prossiga, e dê graças ao nosso bom Deus por estar vivo. O caso é que surgiu, há tempos, fazendo sucesso, o volume intitulado O Livro da Vida, organizado pelo jornalista Matinas Suzuki Jr., coordenador da coleção Jornalismo Literário da editora Companhia das Letras... Leia mais

Ex-Libris

Não é bom apertar a alma, para ver se sai tinta. O papel continua sendo o assassino de ti e talvez é melhor que a sombra e que suas adagas por antigas vozes vão descalças... Leia mais

Frutos do Concurso Literário

Escritores da Aprendizagem: assim foi batizada a coletânea das obras finalistas do Concurso Literário Professor Arnaldo Niskier, que reúnem os melhores trabalhos de 2013 a 2018... Leia mais

Homenagem a Malaca Casteleiro

Morreu no dia 7 de fevereiro, aos 83 anos, o linguista português João Malaca Casteleiro (1936-2020), coordenador científico do Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea, da Academia das Ciências de Lisboa. Figura central do novo Acordo Ortográfico, Malaca morreu no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa, onde estava internado... Leia mais

Novas Acadêmicas de ES

A cerimônia de posse das escritoras capixabas Manoela Ferrari e Maria Inês Marreco, na Academia-Feminina Espírito-santense de Letras, marcou a comemoração do Dia Internacional da Mulher, na Assembleia Legislativa do ES... Leia mais

O Papa que não gostava de Deus

Eugênio Giovenardi é dos poucos brasileiros capazes de escrever um livro com a riqueza humana e a magnitude literária que põem As Pedras de Roma (Porto Alegre: MaisQNada, 2009) entre os mais expressivos romances da nossa literatura, nos últimos tempos... Leia mais

Observatório Parlamentar da Juventude

Uma característica do deputado Rodrigo Maia é a extrema simplicidade com que age. Isso o faz credor da admiração dos que o cercam. Foi assim que recebeu, em Brasília, num simpático almoço, promovido pelo Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE) o título de “estagiário ilustre”. Tive o prazer e a honra de entregar-lhe o troféu, ocasião em que recordei os seus primeiros tempos de estagiário no Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais... Leia mais

Rosa Negra

Eram 5h40 quando João dos Anjos acordou, escovou os dentes, tomou café, deu um beijo na esposa, foi até o quarto dos filhos e, em silêncio, pediu que Deus os abençoasse. Depois, pegou seus pertences, dentre eles uma peixeira, pois era açougueiro, colocou junto com sua marmita em seu embornal e saiu para mais um dia de trabalho... Leia mais