Editorial

Prestamos, neste número, nossas homenagens a Cacá Diegues, que acaba de ser eleito para a Academia Brasileira de Letras, com expressiva votação. O seu último filme, O grande circo místico, foi escolhido para representar o Brasil no Oscar 2019 e irá concorrer com outros títulos, eleitos em diferentes países, por uma vaga entre os indicados à estatueta de Melhor Filme em Língua Estrangeira, o que é uma honra para todos nós. Deve-se louvar a ABL pela sua diversificação, com a eleição de um cineasta, o que, aliás, ocorre no lugar de outro representante do cinema, o inesquecível Nelson Pereira dos Santos. Vamos torcer, agora, para que possamos vencer a competição internacional, com um representante do porte de Cacá Diegues.

O Editor