Breves

por Manoela Ferrari

2018 – Crônicas de um ano atípico, de Martinho da Vila, foi lançado com sucesso pela Editora Kapulana.

Mauro Wainstock e sua equipe conquistaram o primeiro lugar no Startup Weekend/Educação – um dos principais eventos mundiais sobre empreendedorismo, ocorrido no We Work.

Resultado de vasta pesquisa em anúncios e artigos de jornais, a historiadora Ebe Reale buscou um retrato fiel da vida paulistana, na década de 1920, e lançou Pauliceia Melindrosa, pela Editora DBA.

Foi um estrondoso sucesso o lançamento de Uma Furtiva Lágrima, novo romance da acadêmica Nélida Pinõn, na Livraria Travessa do Leblon, em coquetel fartíssimo oferecido pelo empresário Luiz Carlos Ritter.

Em versão comentada, a coleção Clássicos Zahar lançou A Máquina do Tempo, um verdadeiro marco da ficção científica mundial.

Prevista para o período entre 10 a 14 de julho, a 17ª Festa Literária de Paraty confirma as presenças da escritora americana Kristen Roupenian e da crítica literária Walnice Nogueira Galvão. A curadoria do evento é da jornalista Fernanda Diamant.

Benjamin Moser, escritor americano que cuida das obras de Clarice Lispector nos EUA, está traduzindo cinco livros infantis da autora para lançamento em 2020, comemorando o centenário dela.

Em sua sexta edição, a “Printemps Litteraire Brésilien”, idealizada pelo professor brasileiro Leonardo Tonus, da Sorbonne, chega ao Canadá, onde fica até junho, levando diversos autores nacionais.

A recuperação do espaço do teatro do antigo Cassino da Urca, prédio que pertence ao Instituto Europeodi Design, prevê o retorno às atividades regulares até o fim de 2021.

Em julho, sob o comando de Haroldo Costa, dá-se, no Rio, na Praça Mauá, o Festival Nacional do Samba.

Segue impressionante a força da escritora Agatha Christie, no Reino Unido, apesar de sua morte ter-se dado há 43 anos. Neste século, apenas J.K. Row-ling, criadora de Harry Potter, conseguiu vender mais livros do que ela.

Uma curiosidade: pela ordem, a Bíblia, o conjunto de obras de Shakespeare e os 80 livros da britânica Agatha Christie constituem-se as três peças mais publicadas na história literária da humanidade.

Com 576 páginas, Leonencio Nossa lançou, pela Ed. Nova Fronteira, Roberto Marinho – O poder está no Ar.

Autora canadense de oito livros, incluso o recém lançado no Brasil Maternidade: um romance, pela Companhia das Letras, Sheila Heti confirmou participação na Festa Literária Internacional de Paraty, de 10 a 14 de julho. Este ano o evento homenageia Euclides da Cunha.

Reputado como maior físico e astrônomo brasileiro da atualidade, desde o século passado ensinando aos americanos na Universidade de Hanover, Mar-celo Gleiser tornou-se o primeiro professor nacional a conquistar a premiação internacional Templeton, tida como Nobel da espiritualidade. Aos 60 anos, ele já produziu quatro livros em inglês e nove em nosso idioma.

O angolano Luandino Vieira tem agora lançado no Brasil (Ed. Kapulana), Nós, os do Makuluso, escrito durante seu período prisioneiro, em Cabo Verde.

Não levando em conta o mercado de e-book, o setor editorial brasileiro faturou R$ 5,12 bilhões, no ano passado, número que representou uma queda de 4,5% em relação a 2017. Os dados são da Fipe, atendendo ao Sindicato Nacional dos Editores de Livro e à Câmara Brasileira do Livro.

Um total de R$ 54,7 milhões serão disponibilizados pela Secretaria Municipal de Cultura do Rio aos projetos de fomento à produção cultural na cidade, durante o ano de 2020.

A Fundação Cesgranrio dará, na próxima edição do Prêmio Rio de Literatura, R$ 180 mil a cada um dos vencedores, nas categorias Prosa, Poesia e Ensaios.

Com mais de 15 milhões de exemplares comercializados no mundo através de duas dúzias de obras, a escritora americana Kristin Hannah é outra presença confirmada na Bienal do Livro do Rio, no mês de agosto.

De Machado de Assis, Helena está ganhando uma adaptação para cinema com assinatura de Sérgio Medeiros.

Voltado unicamente para filmes nacionais, a Prefeitura de Ilhabela, São Paulo, começa, em novembro, um festival de cinema que pretende renovar anualmente. O orçamento inicial está na faixa de R$ 4 milhões.

Ganhadora do Sapir, principal prêmio literário de Israel, Ayelet Gundar-Geshen é mais uma presença confirmada na 17ª Flip, que acontece entre 10 e 14 de julho.

Recebeu o nome de Luiz Gama, um dos principais lideres abolicionistas brasileiros, o novo clube de leitura paulista da Biblioteca Mário de Andrade. Mensalmente, será realizado no local debate sobre textos relevantes na questão social.

Vencedor do Prêmio SESC de Literatura em 2008, com o romance Hoje está um Dia Morto, André de Leones vê a obra transformar-se, agora, em versão cinematográfica pelas mãos do diretor Robney Bruno Almeida.

Entrou no radar da Editora Bazar do Tempo o lançamento da Coleção Atlântica, reunindo unicamente poesia portuguesa. Com condenação de Sofia Sousa Silva.

Um retrato das décadas de 1920 e 1930, no chamado baixo mundo de Nova Iorque, foi catalogado pela Editora Camboia em Contos da Broadway, de Damon Runyon, que acaba de chegar às livrarias.

Respondendo por 5% do faturamento da Editora Record, o segmento digital ganha significativo incremento com a inclusão da obra completa de Gabriel Garcia Marques em seu acervo de e-book. Cem Anos de Solidão, como não poderia deixar de ser, encabeça os 23 títulos do laurea- do autor.

Festejando o centenário de Clarice Lispector, a Editora Rocco já mandou preparar um livro exclusivo com algumas de suas cartas inéditas. Será lançado no início de 2020.

Pequenas editoras que não costumam participar do evento ganharão, este ano, na Bienal do Rio, um pequeno espaço para chamar de seu. Algo em torno de 15 metros quadrados de área destinada a cada uma, sob o patrocínio da Distribuidora.