Breves

por Manoela Ferrari

Crônicas publicadas por Machado de Assis entre 1869 e 1876, na revista Semana Ilustrada, com pseudônimo de Dr. Semana, foram resgatadas e atualizadas pela professora Silvia Maria Azevedo, da Unesp, e saem através da Nanquim Editorial, em caixa especial, com dois volumes.

O poeta Sérgio Blank é o novo imortal da cadeira 9, da Acade-mia Espirito-santense de Letras.

Sai em outubro, pela Cia das Letras, escrita pela jornalista Karla Monteiro, a biografia Samuel Wainer – o homem que estava lá.

Fechado desde junho para reformas, o Museu de Arte Moderna de Nova York reabre dia 21 de outubro, com 3.700 metros quadrados a mais. A ampliação representou um custo de 1,5 bilhão.

Mês de julho, a mostra “Tarsila popular”, no Masp, com 8.818 pessoas presentes num só dia (23), bateu recorde anterior da própria Tarsila – de 8.454 visitantes, estabelecido em janeiro, durante a exposição comemorativa do aniversário da cidade de São Paulo.

Fomentando a cultura, o Sesc atua em variados segmentos artísticos pelo país, dispondo de ampla e moderna estrutura, atualmente formada por 119 teatros, 40 cinemas, 184 espaços para exposições e 19 centros educacionais. Anualmente, perto de 80 mil apresentações são registradas com o apoio da entidade.

Encabeçada por O Retrato de Dorian Gray, a Editora Nova Fronteira prepara um box especial com as mais famosas obras de Oscar Wilde.

Considerado um dos romances mais importantes do século XX, O Sol é para Todos, da norte-americana Harper Lee, adaptado para a Broadway, bateu recorde de arrecadação semanal. Nenhuma outra peça faturou tanto em uma semana de apresentação na história da Broadway.

Fenômeno de vendas internacional, com mais de 20 milhões de cópias vendidas, a adaptação do thriller psicológico A Garota no Trem é sucesso também nos palcos londrinos.

Prêmio Pritzker 2019 de arquitetura, uma das figuras centrais da arquitetura japonesa do século XX, o japonês ArataIsozaki, 88 anos, é autor de obras emblemáticas também em países da Europa e da América, incluindo museus, bibliotecas, instalações esportivas – totalizando mais de 100 projetos edificados.

Com décadas decorridas da morte da escritora britânica Agatha Christie, a empresa criada por sua família tem arrecadado, por ano, quantia nunca inferior a 3 milhões de dólares referente a direitos autorais sobre suas obras impressas.

Na esteira de Game of Thrones, a Companhia das Letras lança, repleto de ilustrações, Nightflyers, conto de ficção científica de George R. R. Martin, em bem cuidada edição de capa dura.

Fernando Meligeni lançou, pela Martins Fontes, um manual de orientação a praticantes de tênis.

Luiz Maffei e Márcia Tiburi organizam antologia com poemas antifascistas, produzidos por autores brasileiros contemporâneos, com previsão para publicar em outubro.

Primeira santa brasileira proclamada pelo Papa Francisco, Irmã Dulce, ganhará biografia escrita por Graciliano Rocha, pela editora Planeta.

Finalista do Prêmio São Paulo de Literatura em 2015, Paula Fábrio faz sua estreia nos escritos infantojuvenis com No Corredor dos Cobogós.

O mercado editorial não ficou de fora das homenagens ao escritor Euclides da Cunha. A Penguin, selo da Companhia das Letras, botou nas livrarias uma nova edição de Os sertões.

Revelações do ex-ministro Antonio Palocci, sobre escândalos de corrupção nos governos Lula e Dilma, objetos da Operação Lava-Jato, aparecerão detalhadas no início de 2020, em livro da Editora Planeta.

São Paulo segue inovando: a Cripta da Catedral da Sé terá concertos gratuitos até março do ano que vem, em comemoração aos 100 anos da obra. A Câmara Mortuária fica 7 metros abaixo do altar-mor e abriga restos mortais de figuras históricas paulistas, entre os quais os do cardeal D. Paulo Evaristo Arns. O local comporta público entre 80 a 120 pessoas.

Este ano, a Feira Miolo SP será realizada pela primeira vez em dois dias seguidos – 2 e 3 de novembro – ganhando espaço para editoras independentes. Continua tendo a Biblioteca Mario de Andrade como local, onde, em 2018, estiveram presentes 150 empresas e passaram mais de 10 mil pessoas.

Pesquisa sob encomenda do Sesc intitulada Retratos da Leitura no Brasil revela que, em média, cada brasileiro lê 2,43 livros anualmente. Enfrentando o problema, a entidade mantém uma rede de 336 bibliotecas, sendo 57 móveis. Por intermédio do sistema, foram mais de 266 mil os leitores inscritos e 1,7 milhão de empréstimos em 2018, representando no ano uma média de 6,5 livros por pessoa.

Filmando sobre a vida de Santos Dumont para uma série de TV, Estevão Ciavatta resolveu escrever um livro voltado à obra do inventor brasileiro do avião, para o público infantojuvenil. Sai pela Ed. Matrix, em outubro.

De 1955, A Borboleta Amarela escrita por Rubem Braga, em 160 páginas, ganhou nova impressão da Global Editora.

Mr. Babenco – Solilóquio a Dois Sem Um, da Editora Nós, livro de memórias do cineasta Hector Babenco (1946-2016), foi organizado pela atriz Bárbara Paz, sua mulher, composta de conversas que ele e a atriz tiveram no fim da vida do diretor de Pixote.

Convidada a expor obras inéditas no país e no exterior, em 2020, a artista plástica Beatriz Milhazes prepara trabalhos para apresentação no “The Long Museum”, em Xangai, China, e no Masp. Até dezembro devem estar concluídos.

Tradução de Paulo Schiller, imagens produzidas pela artista plástica Rosangela Rennó e posfácio inédito de Bernardo Carvalho, a Editora Ubu elabora nova versão para Coração das Trevas, de Joseph Conrad, considerado um dos maiores romances em língua inglesa.

Principal premiação literária brasileira, o Prêmio Jabuti voltará no próximo ano a separar em categorias distintas as obras juvenis e infantis. Dessa maneira, coloca ponto final na enorme celeuma criada em torno do tema.