Editorial

A prova de que não andamos bem, em matéria de educação, no Rio de Janeiro, por exemplo, é a progressiva extinção do número de escolas nesse importante estado da união brasileira.

São 384 fechadas, nos últimos anos, criando problemas de acessibilidade para os seus alunos. Eles estão sendo remanejados para locais distantes. Alguns até desistem de estudar. As desculpas apresentadas não são defensáveis, apesar da evidência da crise econômica em que vive o Rio de Janeiro. Existe agora uma perspectiva de que as coisas vão melhorar, com a recuperação da Petrobras e a força do que representa para a economia o famoso pré-sal. Mas até que tudo volte aos eixos, teremos dado uma triste demonstração de retrocesso, exatamente no setor mais importante da economia do Estado fluminense. Uma pena que isso tudo esteja acontecendo.

O Editor