Breves

por Manoela Ferrari

Galope à beira-mar, editado pela Leya, marca o 120º livro do acadêmico e ex-presidente da República José Sarney. Repleto de histórias políticas amealhadas ao longo de uma trajetória onde desfrutou de todas as posições importantes da vida pública municipal, estadual e federal.

Foi um sucesso o evento Darcy Ribeiro e a Biblioteca Básica Brasileira, no auditório do Instituto Cervantes, em Botafogo, com a participação de Cláudio Murilo Leal, presidente da Academia Carioca de Letras; José Ronaldo Alves Cunha, membro do Conselho Curador da Fundação Darcy Ribeiro; Godofredo de Oliveira Neto, curador da Coleção e membro da Academia Carioca de Letras e Carlos Barbosa, editor da Coleção. Composta por 50 livros, a Biblioteca Básica Brasileira recolhe as obras fundamentais da cultura brasileira apresentadas ao público com novos prefácios escritos especificamente para cada livro.

Depois de discutir a obra O Mulato, de Aluísio Azevedo, em maio, o Café Literário do PEN Clube deste mês tem como tema Retrato do artista quando jovem, de James Joyce.

Está confirmada a data de 25 de julho como a abertura oficial da 16ª edição da Festa Literária Internacional de Paraty. Começa com um tributo à escritora Hilda Hilst, grande homenageada do evento, comandado pela atriz Fernanda Montenegro e pela pianista e compositora Jocy de Oliveira.

Pesquisas da Nielsen Bookscan identificaram que o segmento de livros de memórias lançados no ano passado alcançaram, no Brasil, um salto de 23,4% em faturamento, em relação a 2016. Em números de exemplares, o crescimento foi de 8%. As biografias de maior sucesso foram as de Rita Lee, da Globo Livros, seguida de Na Minha Pele, de Lázaro Ramos, pela Companhia das Letras.

Alimentando o Mundo, dos historiadores Francisco Vidal Luna e Herbert Klein, foi entregue à editora da Universidade de Cambridge para sair no ano que vem. Foca o progresso do agronegócio no Brasil.

Publicada pela Relicário Edições, em 2017, A Retomada, de Laura Erber, está sendo traduzida para o albanês, adquirida pela Editora Buzuku, sediada em Kosovo.

Vencedor da categoria juvenil do National Book Award, a Ed. Record comprou os direitos de Far from the Tree, de Robin Benway, para comercialização ainda em 2018.

Presidente da Câmara Brasileira do Livro, Luiz Antônio Torelli estima negócios na Bienal Internacional do Livro de São Paulo, mês de agosto, da ordem de 1,5 milhões de dólares.

O poeta Ramon Nunes Mello organizou, para a Editora Bazar do Tempo, uma antologia com 96 poetas escrevendo sobre Aids. Entre eles, o acadêmico Antonio Cícero. Título do trabalho: Tente Entender o que Tento Dizer.

André Carreira prepara, para a produtora cinematográfica, Camisa Listrada, um documentário sobre a trajetória do paisagista Burle Marx. Fala sério, mãe, sob seus cuidados, ultrapassou 2,9 milhões de espectadores, em janeiro.

No catálogo da Ed. Matrix, Não Erre Mais, do professor Luiz Carlos Sacconi, alcança a 32ª edição.

Primeiro livro escrito por Adélia Lopes, publicado em 1985, Um jogo Bastante Perigoso será republicado pela Editora Moinhos. Ela é tida como um das mais importantes poetas portuguesas vivas.

Os deliciosos escritos do capixaba Rubem Braga passam aos domínios da Editora Global, sob a coordenação de André Seffrin.

Um dos principais nomes da ficção policial brasileira, Patrícia Melo terá Gog Magog, seu décimo livro, aqui lançado pela Ed. Rocco, publicado também na Alemanha e na França, respectivamente, pelas Editoras Klett-Cotta e Actes Sud.

Se eu fechar os olhos agora, de Edney Silvestre, lançado em Portugal pela Ed. Planeta, em 2009, terá reedição até dezembro pela Compasso dos Ventos, recém-aberta em Lisboa por Jorge e Fábio Cyrino, responsáveis, no Brasil, pela Ed. Landmark.

A obra infantojuvenil Cantigas por um Passarinho À Toa, com poemas de Manoel de Barros para a gurizada, volta às livrarias pela Companhia das Letrinhas, com ilustrações de Kammal João.

No fim do ano, com tradução de Irineu Perpétuo, a Editora Carambaia traz Os Dias dos Turbin, de Mikhai Bulgárov, peça teatral de amplo sucesso no país, retratando a revolução russa no século passado.

Por intermédio de programa Primavera Literária Brasileira, após França, Bélgica, e Luxemburgo, autores nacionais irão, no segundo semestre, a debates com estudantes estrangeiros da língua de nosso país em universidades dos EUA, localizados em Chicago, Columbus, Phoenix e Albuquerque. Depois, o esquema terá extensão a Portugal, Espanha e Dinamarca.

De 7 de setembro a 9 de dezembro, acontece a 33ª Bienal Internacional de Arte de São Paulo. Dá-se no Parque Ibirapuera, dessa vez contando com obras selecionadas dos artistas cariocas Nelson Félix, Luiza Crosman e Maria Laet, tendo o espanhol Gabriel Pérez-Barreiro como curador.

Ainda que na contramão, a Lava-Jato rende até biografias. A do ex-governador Sérgio Cabral virá em 2019, pela Editora Objetiva, através do cientista político Cristian Klein, enquanto a de Eduardo Cunha, pela Editora Record, ficou a cargo dos jornalistas Aloy Jupiara e Chico Otávio.

A Noite da Espera, de Milton Hatoum, lançada no Brasil pela Companhia das Letras, já esgotando os 20 mil exemplares da tiragem inicial, sairá na França pela Editora Actes Sud. O livro marcou, em 2017, a volta do escritor manauara ao romance, nove anos depois de Órfãos do Eldorado. A história seguirá com mais dois volumes – e o próximo será situado na França.

Ex-modelo, sucesso como apresentadora de programas culinários na tevê paga, Rita Lobo lança novo livro dentro da coleção Já pra Cozinha, com um volume destinado a recém-casados.

Festejada como mãe do abstracionismo, exposição com 130 obras de Hilma of Klint, selecionadas de um conjunto de 1200, denominada Mundos Possíveis, permanece na Pinacoteca SP até 17 de julho, de quarta a segunda, das 10 às 17 h.

Na sessão comemorativa do 181º aniversário, com palestra do Embaixador Luís Filipe Faro Ramos, tomou posse a diretoria do Real Gabinete Português de Leitura, eleita para o biênio 2018/2020.

Em julho, entra no ar o site do Portal da Crônica Brasileira, criação do Instituto Moreira Salles e Casa de Rui Barbosa, com textos dos principais escritores nacionais.

Na praça, novamente, com Nunca Houve um Castelo, pela Companhia das Letras, Martha Batalha, apontada como uma das grandes escritoras brasileira da atualidade, teve seu livro anterior, A Vida Invisível de Eurídice Gusmão (ora virando filme sob direção de Karim Aïnouz) vendido para 12 países. Parece ser um novo fenômeno editorial feminino.

Circulando também em Portugal, o livro Lava-Jato – O Juiz Sérgio Moro e os Bastidores da Operação que Abalou o Brasil, do coleguinha Vladimir Netto, ganhará o segundo volume, da Editora Sextante.

Pela primeira vez, o poeta sueco Tomas Tranströmer, Prêmio Nobel de Literatura, em 2011, tem livro publicado no Brasil: Mares do Leste e Outros Poemas saiu pela Editora Ayiné.

O segundo livro da escritora Roberta Lahmeyer, Retas Oblíquas (Ed. Ibis Libris, 2018) forma um díptico com o primeiro, Singularidade, lançado em 2013.